• Criança

Criança e Adolescente

12/02/2014

SAÚDE - Secretaria de Saúde avalia casos de mortalidade infantil

Secretaria de Saúde avalia casos de mortalidade infantil na microrregião de Pato Branco. Palmas está entre os municípios com maior índice de mortalidade infantil do Paraná.

SAÚDE - Secretaria de Saúde avalia casos de mortalidade infantil

Em visita ao Hospital São Lucas, a superintendente Márcia Huçulak foi acompanhada pelo ginecologista e obstetra João Petry.
(Foto: Maya/Diário do Sudoeste)

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), através da superintendente de Atenção Primária à Saúde, Márcia Huçulak visitou nesta semana, os hospitais Santa Pelizzari de Palmas, o São Lucas e a Policlínica de Pato Branco. O motivo foi verificar, com as equipes médicas, a realidade referente à mortalidade infantil e materna.

De acordo com a superintendente, Palmas está entre os municípios com maior índice de mortalidade infantil do Paraná. Com um indicador de 28 óbitos infantis por mil nascidos vivos. Márcia relatou, que o que chama atenção em Palmas, é que a ocorrência da maioria dos óbitos é no período pós-neonatal, ou seja, a partir dos 28 dias do nascimento, quando o bebê já está em casa.

Para ela, nesses casos, a condição de vida das pessoas pode ser um dos principais agentes influenciadores para a ocorrência da mortalidade infantil. "Isso nos preocupa, porque são óbitos evitáveis. São bebês que precisam ter uma observação mais de perto das equipes de saúde", concluiu.

Pato Branco

Em Pato Branco, o tema foi debatido na entrega dos equipamentos para o Programa Telessaúde, na quinta-feira (6). Márcia aproveitou o momento para mostrar os índices de mortalidade infantil dos 15 municípios e também visitar os hospitais São Lucas e Policlínica.

Segundo o diretor da 7ª Regional de Saúde, Nestor Werner, com a visita foi constatada a qualidade das unidades hospitalares que Pato Branco possui, mas que ainda existem algumas dificuldades, como a falta de médicos ginecologistas e obstetras e de profissionais de saúde, como técnicos em enfermagem, para atender a demanda. Diante disso, ele explicou que é preciso qualificar e melhorar os atendimentos às gestantes, para que Pato Branco consiga diminuir ainda mais a mortalidade infantil.

Márcia informou que o Paraná tem regiões, como Pato Branco e Francisco Beltrão que preocupam, porque estão com os indicadores da mortalidade infantil acima da média do Estado. "Nós estamos com o indicador de mortalidade infantil no Estado, em torno de 11 (óbitos, por cada mil nascidos vivos). O indicador da microrregião de Pato Branco está em 14", revelou.

Ela disse que mortalidade infantil vem caindo no Estado, mas lentamente, pois fatores, como a gravidez na adolescência tem contribuído para essa realidade. Ela mencionou, por exemplo, que em Palmas, a maioria dos casos de óbitos de bebês registrados foram de mães adolescentes.

Todas as regiões do Estado, que estão com os indicadores de mortalidade infantil a cima da média estadual estão sendo visitadas. A intenção é organizar discussões com os gestores, e traçar estratégias, a fim de reverter os altos índices.

Mortalidade materna

A mortalidade materna também foi um assunto discutido. Márcia revelou que na microrregião de Pato Branco, assim como no Paraná, os índices estão reduzindo, principalmente, com a implantação do programa Mãe Paranaense. Ela informou que de 2011 a 2012 a redução foi de 41%, em todas as regiões. A tabulação dos dados de 2013 ainda não foi concluída, mas, segundo ela, os índices devem ter caído ainda mais, fazendo com que o Paraná cumpra a meta do milênio, que é reduzir em 3/4 a mortalidade materna.

A redução da mortalidade materna, de acordo com a superintendente, se deve ao trabalho de captação precoce das gestantes, da garantia dos exames e, principalmente, da garantia da estratificação de risco, ou seja, a identificação das gestantes que apresentam uma gravidez de risco e a sua vinculação a um hospital com condições de atendê-la adequadamente.

Dayanne do Nascimento
Diário do Sudoeste

[Fonte: Diário do Sudoeste - 08/02/2014]

 

- Download PDF -

Compromisso com a sobrevivência infantil: uma promessa renovada - 2013
(Relatório de Progresso 2013 - disponível somente em inglês)
Desenvolvido pelo UNICEF e OPAS/OMS
[Fonte: UNICEF - Fundo das Nações Unidas para a Infância]
 
Download:         [ opção 1 ]         [ opção 2 ]
(formato PDF - tamanho 6,61MB - inglês - 56 págs - Setembro, 2013)

- Download PDF -

Compromisso com a sobrevivência infantil: uma promessa renovada - 2012
(Relatório de Progresso 2012 - disponível somente em inglês)
Desenvolvido pelo UNICEF e OPAS/OMS
[Fonte: UNICEF - Fundo das Nações Unidas para a Infância]
 
Download:         [ opção 1 ]         [ opção 2 ]
(formato PDF - tamanho 5,29MB - inglês - 44 págs - Setembro, 2012)

 

Região de Pato Branco terá mais R$ 2,9 milhões para investimentos em Saúde

Região de Pato Branco terá mais R$ 2,9 milhões para investimentos em Saúde

O Governo do Estado anunciou nesta quinta-feira (6) o repasse de R$ 2,3 milhões para a aquisição dos equipamentos do novo Centro de Especialidades do Paraná, na região de Pato Branco. A unidade está em construção e deve ser inaugurada ainda neste primeiro semestre de 2014.

O convênio, assinado pelo secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, prevê a compra de mobiliário; aparelhos de diagnóstico, como raio x digital e ecocardiograma; equipamentos de informática; mesas cirúrgicas; cadeiras e aparelhos odontológicos, além de outros itens para a Central de Esterilização.

O novo centro vai possibilitar que a população da região sudoeste tenha acesso a cirurgias ambulatoriais, consultas e exames especializados em um único espaço, facilitando o atendimento dos pacientes. O serviço será administrado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde - CONINS e atenderá pacientes de 15 municípios paranaenses e cinco catarinenses que integram a entidade.

Segundo o diretor da 7ª Regional de Saúde de Pato Branco, Nestor Werner Júnior, o Estado já investiu cerca de R$ 1 milhão para apoiar o consórcio nas obras do centro e, depois de inaugurado, o serviço também receberá recursos de custeio. "Com o novo centro, vamos oferecer mais conforto e qualidade no atendimento", destacou.

A implantação dos Centros de Especialidades do Paraná faz parte da estratégia de fortalecimento da atenção ambulatorial de nível secundário, com a proposta de mudança do atual modelo de atendimento. A ideia é contruir um novo modelo que ofereça atendimento integral às necessidades do paciente.

"Além da consulta especializada, vamos garantir a realização dos exames decorrentes solicitados na consulta e também oferecer uma equipe multiprofissional para fazer o acompanhamento do paciente", disse a diretora do Núcleo de Apoio a Descentralização da Secretaria da Saúde, Marise Gnatta Dalcuche.

Eletivas

A região de Pato Branco terá ainda mais R$ 600 mil em recursos para realização de cirurgias eletivas. O repasse permitirá que hospitais dos municípios de Palmas, Chopinzinho, Clevelândia e Mangueirinha iniciem o mutirão de cirurgias eletivas deste ano.

kSegundo o diretor da regional, o objetivo do mutirão é aumentar a oferta de cirurgias e diminuir o tempo de espera por esses procedimentos que não são de urgência. "São recursos adicionais que vão para os hospitais, mas beneficiam toda a região", afirmou.

Telessaúde

Os investimentos foram anunciados durante a solenidade de implantação do programa telessaúde na região de Pato Branco, com a presença do subchefe da Casa Civil, Guto Silva, que representou o governador Beto Richa, do prefeito municipal de Bom Sucesso do Sul, Antonio Celso Pilonetto, e demais autoridades da área da saúde.

Nesta primeira fase, 13 municípios da 7ª Regional de Saúde participam do programa, que oferece um serviço de consultoria técnica ou segunda opinião aos profissionais das unidades básicas de saúde.

De acordo com a superintendente de Atenção à Saúde, Márcia Huçulak, os equipamentos entregues no evento vão permitir que profissionais de saúde discutam casos clínicos e tirem dúvidas com especialistas das universidades. "São computadores, impressoras, câmeras digitais, webcams e outros aparelhos que conectam a unidade de saúde ao núcleo do programa, que nesta região conta com especialistas da Unioeste", explicou.

Vigiasus

Também foram entregues oito veículos adquiridos pelos municípios com recursos do programa estadual VigiaSUS, de qualificação das ações de vigilância em saúde. Os 15 municípios que compõe a 7ª Regional receberam quase R$ 1 milhão pelo programa no ano passado.

Veja a lista dos municípios que integram o telessaúde na região de Pato Branco:
Bom Sucesso do Sul
Chopinzinho
Coronel Domingos Soares
Coronel Vivida
Honório Serpa
Itapejara d'Oeste
Mariópolis
Palmas
Pato Branco
São João
Saudade do Iguaçu
Sulina
Vitorino

Notícias da SESA

[Fonte: SESA/PR - Secretaria Estadual da Saúde - 07/02/2014]

 

Matérias relacionadas:   (links internos)
»   CADÊ? Brasil - Crianças e Adolescentes em Dados Estatísticos
»   Estatísticas
»   Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM4)
»   Publicações: Livros, Manuais e Cartilhas
»   Saúde
»   Saúde - Saúde Neonatal - Triagem Neonatal
»   Unicef Relatórios: Situação da Infância

Notícias relacionadas:   (links internos)
»   (03/12/2013) SAÚDE - Expectativa de vida sobe e mortalidade infantil cai
»   (19/11/2013) SAÚDE - MP-PR participa de eventos de combate à mortalidade infantil
»   (14/10/2013) SAÚDE - Há descaso do governo com a infância
»   (17/09/2013) SAÚDE - Mortalidade infantil cai 77% em 22 anos no Brasil, diz Unicef
»   (09/08/2013) SAÚDE – Redução da Mortalidade Infantil
»   (28/02/2013) ESTATÍSTICAS - Lançado o relatório "Indicadores de Desenvolvimento Brasileiro"

Referências:   (links externos)
»   Diário do Sudoeste
»   SESA/PR - Secretaria Estadual da Saúde

 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem